Viver não é necessário... Necessário é criar!

A criação artística é um processo comunicativo que valoriza os conceitos de criatividade e de arte. 

Postado em 24/04/2017


Viver não é necessário... Necessário é criar!
A proposta de pintarmos em conjunto um muro, de forma livre e criativa, vai além da estética ou da diversão!
Propomos desenvolvimento humano para todas a s idades!
Desde muito pequenos é importante explorarmos a criação, imaginação e abstração, pelo caráter lúdico na esfera do simbólico e do brincar, bem como a flexibilização de pensamento, o que dá suporte à aquisição de conceitos e aprendizado pedagógico!

A criação artística é um processo comunicativo que valoriza os conceitos de criatividade e de arte. Enquanto a criatividade é um processo ordenador e configurador do que assimilamos da realidade mas ultrapassa-a ao alargar-se ao mundo do imaginário, a arte, por seu turno, implica o belo e a beleza.
A criação artística implica uma capacidade de transmutação de experiências e alimenta-se das condições que dão acesso ao sentir da beleza. Este sentir associa-se à sedução que o mesmo objeto cria. Fernando Pessoa considera que a criação artística implica a conceção de novas relações significativas, graças à distanciação que faz do real. O poeta parte da realidade, mas distancia-se, graças à interação entre a razão e a sensibilidade, para elaborar mentalmente a obra de arte.
Desde sempre, o Homem recorreu à criação artística como arma de comunicação e, por vezes, de protesto, de intervenção e defesa. Na criação da obra de arte, são fundamentais a liberdade do indivíduo e a vitalidade do grupo!! Esta vitalidade é apreendida pelo artista, que assume um papel importante na consciência de um todo ou de uma cultura.    
      

A Construção Coletiva

Em termos prospectivos, a idéia-força da construção coletiva aponta na direção da articulação entre o individual e o coletivo. Isto implica a valorização das diferenças como constitutivo do próprio coletivo, bem como a valorização da perspectiva de processo, onde nada está pronto e acabado. A realidade não existe sem o ser humano, assim como o real não é apenas o ser humano. O real é o mundo material e as relações que o ser humano estabelece na vida social, consigo mesmo, com a natureza, com os outros! Desse modo, pode-se afirmar que o ser humano está ao mesmo tempo na esfera da natureza e da história.
O social não é produto de seres isolados, mas os indivíduos constroem sua subjetividade no real e nele sintetiza-se todo um conjunto de relações sociais que não determinam inteiramente a subjetividade do ser humano, mas algumas de suas formas fundamentais, bem como seus limites.
Por outro lado, as relações sociais não são supra-individuais, nem tampouco se pode abstraí-las dos indivíduos concretos que as constroem. Apesar do caráter objetivo das relações sociais, o ser humano não as contraí como autômato, mas como sujeito concreto, dotado de consciência e de vontade!!!
              
Assim foram nossos dois dias de pintura de um muro!! Dois dias repletos de desenvolvimento e de aprendizado! Repleto de cores!! repletos de arte!!
Repleto de histórias para contar!!
Repleto de pares, olhares e sorrisos, que refletiam toda nossa cor!!
            
Como diz Fernando Pessoa, “Não é necessário viver…Necessário é criar!!”
Gratidão por tanta cor!
Deixe seu comentário
Categorias: Arte e Cultura;

Tags: arte e cultura, arte, muro, pintura, tinta, cores, criatividade, abstração, inclusione, oficina


Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!
0 comentários